Bairro Jardim Riacho: Rua Alfa, 45 B - CONTAGEM, MG.

                        

  • Wix Facebook page
  • Twitter App Ícone

9 9647-6135 (Vivo)

2559.1085

momentocerto@momentocerto.com.br

PROPOSTA DE REDAÇÃO

 

Sugiro alguns procedimentos que dará a você maior controle sobre o modo como interpreta um texto. Ponha-os em prática e veja como eles favorecem uma leitura mais objetiva e atenta.

 

Efeitos do aquecimento da Terra são irreversíveis nos próximos 100 anos

 

Relatório conclui que o homem é responsável pelo efeito estufa

 e prevê consequências rápidas e violentas

 

O aquecimento global e as mudanças climáticas chegaram a uma velocidade e com uma violência muito maiores do que cientistas e governantes esperavam. A situação só vai piorar, mesmo com medidas de contenção tomas imediatamente. Hoje, uma variação fracionária na temperatura é suficiente para desencadear uma série de eventos climáticos extremos, como tempestades, furacões, inundações e secas – até a Terra pode esquentar 3º. C.E.  E a culpa é do homem, de maneira inequívoca.

            Essa sequência de observações no novo relatório do painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC), o mais respeitado documento sobre o tema no mundo. As conclusões, um endosso aos alertas mais impactantes feitos por ambientalistas nos últimos 30 anos é produto de estudos de 2,5 mil cientistas de 130 países com os dados mais precisos disponíveis. (...)

            A expectativa é que a opinião pública pressione todas as nações a adotarem o Protocolo de Kyoto e não ficarem dependentes de um modelo econômico que promova o efeito estufa. O fenômeno é marcado pela concentração de gases na atmosfera que impedem a fuga do calor para o espaço. O planeta esquenta, e o delicado sistema climático terrestre se desequilibra.

            O IPCC mostra claramente que o aquecimento atual não é parte do ciclo natural do planeta, mas consequência de um estilo de vida iniciado na Revolução Industrial e ainda praticado pelos 6,5 bilhões de habitantes. Por estilo, entendem-se dependência de combustíveis fósseis para gerar energia, em especial petróleo e carvão, e desmatamento em larga escala. (...)

 

Do Katrina ao Catarina

            (...) A temperatura do ar dos oceanos vem subindo. Onze dos últimos 12 anos estão entre os mais quentes desde 1850, quando a temperatura passou a ser medida. Em 100 anos, a elevação foi de 0, 74º. C – num passo acelerado nos últimos 50 anos.

            Não é pouco. Menos de 1º. C foi suficiente para desequilibrar o sistema climático: Katrina, que arrasou Nova Orleans; Catarina, o primeiro furacão brasileiro; ondas de calor no Hemisfério Norte; secas prolongadas na Ásia; monções enfraquecidas; mais pestes; plantas que entendem ser primavera no inverno e florescem. Tudo isso influenciado, em algum grau, pelo aquecimento.

            A elevação da temperatura trouxe também o degelo de lençóis glaciais e a redução da cobertura de neve. Com isso, o nível dos oceanos subiu 3,3 milímetros por ano entre 1993 e 2006. No século 20, a elevação foi de 0,17 metro.

 

Ponto sem retorno

            Mesmo que a emissão dos gases-estufa pudesse ser controlada hoje, as alterações continuariam por centenas de anos. Isso porque o carbono tem um ciclo de permanência na atmosfera de 100 anos. O efeito é mais devastador do que o próprio IPCC imaginava. O gelo diminuirá no Ártico e talvez na Antártida, alterará a salinidade da água e aumentará o volume de precipitações. A conjunção de fatores vai reordenar ventos e ondas. Haverá chuvas torrenciais, furacões mais agressivos, ondas de calor mais longas. Em alguns anos, o extremo será comum.

            A questão é como e quanto a humanidade conseguirá minimizar os danos (...)

Cristina Amorim. Estado de Minas. 3 fev. 2007.

 

Procedimentos

 

  1. Identifique o tema do texto

  2. Elabore uma síntese do texto

  3. Organize as próprias ideias com relação aos elementos relevantes

  4. Estabeleça relações entre elementos relevantes e entre eles e outras informações de que você disponha (conhecimentos prévios)

  5. Interprete os dados e fatos apresentados

  6. Elabore hipóteses explicativas para fundamentar a análise do texto

 

Agora é ora de praticar. Produza um texto em prosa, dissertativo-argumentativo, com o mesmo tema sugerido outrora pela UFMG. “A TV FORMA, INFORMA E DEFORMA”. Dê um título, não escreva menos que 15 linhas, e não ultrapasse 30.